Take: 7 Usos Essenciais na Conversação

Take está entre os dez verbos mais frequentes na língua inglesa. Saber aplicá-lo no momento certo e com a conjugação apropriada torna-se essencial para uma comunicação bem sucedida em qualquer contexto – social, trabalho ou estudos. Nesse post, apresento 7 usos práticos do take no dia-a-dia. Coloque-os em prática hoje mesmo e se gostar das explicações, não esqueça de compartilhar com os amigos.

Conhecer a tradução de um verbo não significa saber usá-lo com fluência. A tradução de uma palavra é apenas o começo, ajuda na compreensão. Mas é preciso dominar os significados, ou seja, realmente usá-los com facilidade e conforto.

Pense no verbo take. Qual é o primeiro significado que vem à sua mente? Esse sentido se encaixa na frase abaixo?

It takes a lot of courage to do that.

Você consegue usar take de formas diferentes, sem se apegar a uma única tradução? Se a sua resposta é ‘não’, vamos mudar isso agora? Entenda 7 usos comuns do verbo take.

1 Ser necessário No Brasil, usamos muito o verbo ‘precisar’ no sentido de ‘ser necessário’. It takes a lot of courage to do that (precisa de muita coragem para fazer isso). Aliás, ‘it takes two’ é o nome de uma música famosa nos EUA, ‘precisa de dois pra fazer algo dar certo’.

2. ‘Levar’ – quando falamos de tempo. How long does it take you to get to work? (Quanto tempo leva pra você chegar no trabalho?)

3 Aceitar You never take my advice! (Você nunca aceita meu conselho)

4 Tomar, especialmente remédios e vitaminas. You should take your medicine twice a day (Você deve tomar seus remédios duas vezes ao dia).

5 ‘Pegar’ para meios de transporte. Esse talvez seja um dos primeiros significados que você aprendeu. I sometimes take the bus to work. (às vezes pego o ônibus para o trabalho)

6 Tirar fotos Let’s take lots of photos of Paulista Avenue. (Vamos tirar muitas fotos da Avenida Paulista)

7 Anotar Hold on, I wanna take your phone number. (Espere , quero anotar seu telefone)

Você consegue reproduzir alguns usos agora mesmo? Não deixe pra amanhã, escreva ou grave agora mesmo algumas frases com take. Aproveite o momento para aperfeiçoar sua conversação. E de novo, se o post foi útil….compartilhe!

Google é Verbo? Que palavra é essa?

A língua inglesa é flexível e dinâmica, e muitas vezes os livros didáticos não acompanham o ritmo das mudanças no idioma falado. Novas palavras, expressoes e usos tornam-se parte das conversas e são adotados pelos dicionários todos os anos. É preciso manter-se atualizado: ler, ouvir, falar e praticar novos usos, exercer essa flexibilidade da língua inglesa.

Pensei em alguns usos que são muito comuns nas conversas do dia-a-dia e talvez ainda não façam parte do seu inglês.

1 Me-time

Essa é uma expressão informal e usada como substantivo. Me-time é aquele tempinho pra relaxar, que é só seu. I have to get some me-time.

2 Google virou verbo e faz tempo!

Esse você conhece … mas já se acostumou a usar como verbo? Assim: I was curious and I googled you. Isso mesmo, google é um verbo regular e significa buscar informações sobre algo ou alguém…… no Google. Quer saber mais? Why don’t you google it?

3 Favela

E então, como falar ‘favela’ em inglês? Assim mesmo! A palavra ‘favela’ foi adotada em inglês porque não havia uma expressão que traduzisse os aspectos diversos e complexos das comunidades no Brasil (antes chamadas de favelas).

4 Email e text são verbos – será?

Como você diria ‘Enviei uma mensagem pra você’? Que tal I texted you. O verbo text significa enviar mensagens no celular. Fácil e prático! O mesmo vale para a palavra email – significa enviar um email ou enviar algo por email. I’ll email you a few photos significa ‘vou te enviar umas fotos por email.

O que achou das expressões e usos? Se gostou, não esqueça de compartilhar!

2021: Paciência e Determinação

Aprender Inglês, tricot ou física nuclear. Não importa. Temos que manter a mente saudável e produtiva. Transformar nossa rotina de trabalho, estudos e socialização. São alguns dos nossos desafios em 2021. E para vencer, precisamos revisitar nossas virtudes, especialmente paciência e determinação.

Paciência

Virtude essencial nesse momento. Devemos ter a paciência de aguardar o momento certo de executar nossos planos e sonhos. A paciência de lidar com uma nova rotina de trabalhar em casa ou até mesmo não trabalhar, de viver com menos dinheiro e de não poder fazer tudo o que gostamos. A paciência de lidar com nossas emoções e falhas e com as dificuldades nos relacionamentos intensificados pelo stress crônico que nos rodeia.

Determinação

Temos que buscar a determinação necessária para afastar o desânimo, e manter em mente nossos objetivos e projetos. Coragem para vencer uma rotina estranha e principalmente a determinação de fazermos o que é certo: não ignorar um vírus que, ao contrario de nós, não desanima! Então precisamos ser implacáveis pra matar esse vírus de todas as formas: a vacinação que depende dos nossos líderes e usar máscara! Cada vez que usamos máscara e nos distanciamos fisicamente, contribuimos pra que haja menos concentração do virus no ar. O vírus explora nossos pontos fraco, entre eles a impaciência. Vamos ser pacientes e enquanto a vacina não é suficiente para todos, vamos matar esse vírus de fome! Use máscara e fique em casa. E tenha paciência de explicar a amigos e familiares a importância da máscara e dos cuidados.

Planos para 2021: Mudar de Carreira? Aprender Inglês? Opções Gratuitas para Iniciar Agora

Planejar 2021 exige determinação. Não sabemos exatamente quando retornaremos a certas atividades com segurança, ou quando (e como) a economia se recuperará. A tendência é condicionarmos nossos planos aos acontecimentos. Mas essa não é uma boa estratégia. Algumas atividades certamente devem aguardar: viagens, reunir amigos, e outras que contrariem o isolamento, essencial para nossa saúde. Mas devemos sim planejar, com a consciência e flexibilidade de adaptar os planos sempre que necessário.

Atualizar-se ou aprender novos conhecimentos é sempre positivo, tanto para o trabalho quanto para a vida pessoal. No mínimo, você se renova e mantém sua mente saudável, importante na época complicada em que vivemos.

1.Cursos Gratuitos

Se você perdeu o emprego, sabe que estudar prepara e aumenta suas oportunidades. No entanto, investir sem salário causa insegurança. Encontre alternativas que se adaptem às suas condições pessoais, tais como cursos menos caros ou mesmo gratuitos.

Há inúmeras opções de cursos gratuitos online, procure e ficará surpreso. Apenas algumas sugestões para um início de busca:

FGV – Cursos Gratuitos Online

Cursos diversos, de curta duração, todos com certificado, oferecidos pela Fundação Getúlio Vargas. Inclusive, vários relacionados ao contexto da pandemia.

https://educacao-executiva.fgv.br/cursos/gratuitos

HP Life. (em inglês) Cursos oferecidos pela multinacional HP, práticos especialmente para quem deseja ser empreendedor ou ampliar seu negócio.

www.life-global.org

Cursos gratuitos da Harvard University. Várias áreas, com certificado, estudos mais profundos.

http://online-learning.harvard.edu

2.Aprender Inglês Sem Professor: Disciplina, conteúdo e correção de erros.

Há uma infinidade de recursos online- pagos e gratuitos. É possível aprender inglês (ou outro idioma) sem professor? Certamente. Já conheci varias pessoas que aprenderam muito bem. Preste atenção em 3 aspectos: disciplina, conteúdo e correção de erros. Inclua o estudo de inglês na sua rotina diária, com horários para iniciar e concluir. Tenha um plano de conteúdo e encontre alguém que possa ajudar na correção de erros. Pode ser um amigo fluente, ou se não for possível, contrate um professor para aulas esporádicas, para analisar seu inglês e direcionar seu progresso.

Duas sugestões:

BBC Learning English: Inglês Britânico. Especialmente a partir do intermediário.

http://www.bbc.co.uk/learningenglish/

VOA News: inglês americano, todos os níveis.

http://www.learningenglish.voanews.com

Sugestão: escreva seus planos para 2021 e escolha os que não contrariam o distanciamento social. Se houver uma restrição financeira, encontre formas mais economicas de realiza-los. Procure opções.

Professores de Inglês: como decidir o formato das aulas?

Muitos professores, especialmente os iniciantes na área, percebem na prática que não há uma fórmula que possa ser aplicada em todas as aulas. Cada estudante aprende do seu próprio jeito. Alguns, mesmo iniciantes, adoram o desafio de uma aula completamente em inglês, outros ficam constrangidos quando não entendem e deixam de perguntar, acumulando dúvidas. E como lidar com essas diferenças no planejamento do curso? Como decidir o formato das aulas? Totalmente em inglês? Parcialmente?

Há vários aspectos a considerar antes de decidir: conhecimento prévio, dificuldades e metas do aluno, além de outros fatores como idade, carga horária do curso e disposição para estudar fora da aula. Além disso, há inúmeras abordagens do ensino de inglês. Nesse post quero comentar 3 pontos: objetivos do curso, carga horária e abordagem de ensino.

1. Foco nos objetivos do aluno

Em primeiro lugar, defina seu plano de ensino. Especialmente em aulas individuais, é essencial manter o foco nos objetivos específicos dos seus alunos. Se, por exemplo, tratar-se de alguém interessado em desenvolver textos acadêmicos, acelerar a escrita e leitura deve ser o foco principal das aulas e atividades. Nesse caso, permitir (inicialmente) a tradução de palavras novas durante pode produzir resultados mais rápidos.

Vamos pensar em um perfil diferente: alunos com o objetivo de desenvolver a conversação para trabalhar/morar no exterior ou participar de entrevistas de trabalho em inglês. Nesse caso, é imprescindível desenvolver a fala e compreensão auditiva desde a primeira aula. Se o aluno apresentar dificuldades, comece com aulas bilíngues e aos poucos, aumente o tempo de inglês até atingir o ideal programado.

2.Carga Horária e Duração do Curso

Ao elaborar o plano de ensino de cada aluno, considere a carga horária. Cursos de uma aula semanal podem ser mais produtivos se forem bilíngues devido ao limite de tempo. Cursos com duas ou mais aulas semanais permitem maior flexibilidade. Mais uma vez, o perfil do aluno deve ser o foco do planejamento do seu curso. Além disso, é preciso decidir o conteúdo e formato das aulas tendo em vista a duração de cada curso. Cursos mais rápidos, intensivos ou não, devem ter características diferentes dos cursos regulares.

3.Abordagem de Ensino

Há diversas abordagens do ensino de inglês. Leia a respeito e decida qual você quer experimentar com seus alunos. Observe os resultados e acredite no dinamismo. Adapte seu planejamento às necessidades do aluno. Alguns sentem-se motivados diante de desafios enquanto outros têm medo de errar e desenvolvem bloqueios. Lembre-se o melhor método de ensino é aquele que funciona, que produz resultados e possibilita o sucesso do seu curso.

Sugestão para os professores novatos: participe de webinars, leia, discuta suas ideias e dúvidas com colegas. Acima de tudo, experimente e preste atenção às reações e resultados de cada aluno. Se uma técnica não funcionar, não hesite em mudar e criar estratégias novas.

*Se gostou das dicas, não esqueça de curtir.

Get: Aprenda 10 Significados

O verbo get está entre os mais frequentes. No entanto, como há vários sentidos, pode haver insegurança na hora de usa-lo na conversação. Vamos então revisar e praticar 10 usos do get. Você consegue aplicar os diferentes significados do get? Consegue criar seus próprios exemplos?

1 Ficar: ficar chateado, feliz, rico, gordo, entusiasmado. Get angry, upset, in shape, rich, fat, happy

He got rich a few years ago.

I’m getting excited about our next trip.

2. Get + to = chegar. Cuidado: não usamos to antes das palavras home, there e here.

What time did you get home last night?

Call me up when you get there.

The train gets to Boston at 7:33.

3.Receber (mensagem, email, uma encomenda)

I got a message from Paul.

Do you always get a lot of emails in the morning?

4. Comprar

Nowadays I get all I need online.

By the way, I got some gardening tools yesterday.

5. Obter, conseguir

She really wants to get a college degree.

I don’t think I’ll get a job this year.

How did you get all this money?

6. Atender telefone, campainha/ porta

Alguém toca a campainha: I’ll get it! (Eu atendo!)

7. Capturar

The police are trying to get the dangerous criminals who robbed a bank in Santa Catarina.

8. Preparar comida, refeição

I’m exhausted. Could you get me a sandwich?

Who’s getting lunch tomorrow?

9. Usar um meio de transporte: pegar ônibus, avião, trem, taxi.

He always gets the bus to work.

I think I’ll get a flight home.

I think I’m getting a cold.

10. Pegar gripe, ter dor de cabeça, doenças em geral.

I usually get a headache when I drink cheap wine.

I think I’m getting a cold.

Proficiência em Inglês: como está o seu país?

O índice de proficiência da Education First (EF EPI) classifica 100 países por suas habilidades em inglês. Assim como há índices que medem qualidade de vida, renda e até mesmo felicidade, desde 2011, temos o EPI para entender o nível de inglês em diferentes países. Muito importante: as pesquisas da EF EPI indicam que o níveis mais altos de proficiência estão relacionados a níveis mais elevados de renda, qualidade de vida e inovação, além de maior facilidade em realizar negócios. E como está o seu país nesse ranking?

O EPI classifica o inglês em 5 categorias: muito alta, alta, moderada, baixa e muito baixa.

Em 2020, a Holanda fica em primeiro lugar, seguida da Dinamarca e Finlândia. Um total de 12 países alcançaram a categoria ‘muito alta’. Entre os quais, 10 são europeus, 1 africano (África do Sul) e 1 asiático (Singapura).

Em relação aos países de língua portuguesa, temos um exemplo a seguir: Portugal passou de 12° lugar em 2019 para 7° em 2020, conquistando a categoria ‘muito alta’. O Brasil continua fraco no inglês, apesar de subir de 57° para 53°, permanecendo na categoria ‘baixa’. Muito longe do que gostaríamos. Angola subiu 11 posições: de 91° para 80° (categoria ‘muito baixa’). Os outros países de língua portuguesa não estão no ranking.

Alguns comentários um pouco ‘soltos’ em relação a nais alguns países onde tenho leitores mais constantes (Obrigada):

Argentina destaca-se em 25° lugar, o único país da América Latina com proficiência ‘alta’.

Bélgica está na categoria ‘muito alta’ desde 2018 e ainda subiu de 13° para 9° lugar em 2020.

A Alemanha subiu de 10° para 8° lugar em 2020, proficiência ‘muito alta’.

Suíça: subiu de 19° para 18° lugar, categoria ‘alta’.

República Tcheca: continua alta e pulou de 23° para 19° lugar no ranking dos 100 países.

Sugestão: vamos refletir sobre a correlação entre nível de proficiência em inglês e qualidade de vida, sucesso financeiro e inovação. Inglês é o idioma global nos negócios. Mais e mais multinacionais adotam o inglês como língua corporativa oficial. Como está o seu pais ou sua cidade nesse aspecto? E você, o que poderia fazer para aperfeiçoar ou manter seu inglês? Vamos pensar e discutir com os amigos – online, de forma segura.

Para saber mais sobre seu país e outros, acesse o link:

https://www.ef.com.br/epi/

O Melhor Momento para Aprender

O aprendizado de … qualquer coisa é um processo dinâmico e criativo. Ao planejar, mantemos o foco nas metas, mas as mudanças ocorrem sem nosso controle – assim como na vida. Planejar não significa controlar ou adiar até que as condições sejam perfeitas. O plano é apenas um lembrete dos nossos projetos.

Aprender é descobrir, aventurar-se, não ter medo de correr riscos, de errar. Estudar nos treina – percebemos a importância da disciplina – que se aplica a todos os aspectos de nossas vidas – aperfeiçoando nossas habilidades para vencer desafios. Aprender é também o encanto de descobrir e surpreender-se com os próprios talentos.

E qual é o momento certo de aprender algo novo?

Agora. Não é mais tarde, ou após a pandemia- porque não temos o controle do amanhã. Na verdade, o esforço é grande para agirmos agora. Temos uma lista de desculpas: falta de tempo, de dinheiro, de disposição, de espaço ou motivação. Essa lista convincente é uma ilusão. O tempo de aprender é agora.

E o que aprender?

O que você quiser: um idioma, fotografia, ganhar dinheiro, dançar, cozinhar ou até mesmo uma nova atividade ou profissão. Não perca energia com os obstáculos. Inicie e perceba como aprender refresca sua mente ao transformar palavras em realidade.

E qual é a melhor idade para aprender?

Depende. Qual é a sua idade? Vinte anos? Quarenta? Setenta ou noventa? Não importa, esse é o momento de aprender: agora. Vivemos cada vez mais. Não faz sentido usar a idade como desculpa. Temos a obrigação de viver da melhor forma possível. Estar vivo é descobrir algo novo a cada instante.

E quanto aos limites físicos? Aos limites do corpo?

Fazemos o melhor que conseguimos. Adaptamos. Se a sua mobilidade física é restrita, há inúmeros cursos online. Procure novas atividades e faça ajustes aos limites da sua saúde.

Falta de dinheiro? Há uma variedade enorme de cursos gratuitos online.

Falta de tempo? Se não tiver tempi agora, quando terá? Administre sua rotina e separe tempo para você.

Reserve tempo na sua vida para o novo, para novas idéias e perspectivas. Revisite seu conhecimento. Então, o que decidiu aprender agora?

Estudar Inglês Após os 40: Planeje!

Ter uma carreira, e não falar inglês é frustrante, especialmente após os 40, quando é comum ter ou almejar um cargo de liderança. Deparar-se com situações de constrangimento por não falar inglês prejudica a carreira carreira e sua auto estima. Se você pertence a esse grupo de pessoas, faça algo agora – o contexto propicia cada vez mais as pessoas pró ativas com disposição para novos conhecimentos.

Não existe fórmula mágica. Faça um plano de wstudos com objetivos e prazos para alcança-los e ‘mãos à obra’. Inicie os estudos, mantenha o ritmo e a disciplina. Não ‘enrole’, não reclame. Tenha determinação em eliminar essa pendência do seu perfil. Não há mistérios em aprender inglês, você precisa de um bom plano e determinação. Não espere a ‘inspiração ‘ ou o ‘momento certo’ – tudo isso é mito. Se falta tempo pra estudar, bem-vindo ao clube dos adultos! Planeje sua rotina!

Esse plano de estudos deve ser feito antes de iniciar as aulas. Comece o curso com a idéia clara do que você quer. Defina seus objetivos de inglês: ser capaz de participar de reuniões, realizar palestras, escrever um livro, … o que você quer? Em quanto tempo deseja alcançar suas metas? Defina! Um ano, dois? Seja claro e escreva seu plano. Então procure o curso que se encaixa nos seus objectivos. Selecione seu curso com o mesmo cuidado com que escolheu sua faculdade e carreira.

Ao iniciar o curso, mantenha suas metas claras anotadas em um local evidente, em seu home office, por exemplo. Todos os dias leia seus objetivos e prazos. Pergunte-se se está indo bem. Faça ajustes, se necessário.

Fique de olho no seu progresso. Vivemos um momento de mudanças e desafios que exige cada vez mais conhecimento e dinamismo. Decida e faça. Não corra o risco de deixar o tempo passar e ‘acordar’ daqui a alguns anos ainda frustrado com a falta do inglês.

Iniciantes em Inglês: 3 Formas Simples de Evitar Bloqueio

Falar inglês envolve vários aspectos – são atitudes muito simples que ajudam na evolução das etapas iniciais do seu inglês, especialmente na conversação. Pratique essas 3 formas de evitar bloqueio e tornar seu aprendizado mais agradável.

1.Brinque de teatro

Ao aprender algo novo, brinque um pouco de ser ator. Coloque emoção em seus exercícios. Repita frases que imitem a estrutura ou expressão, mas varie a entonação. Faça isso fora de aula também. Brincar com as palavras torna o processo de aprendizado mais natural e agradável. Experimente.

Exemplo: I love pizza tem ao menos 3 tipos de entonação que expressam idéias diferentes dentro de uma conversa. Ou mude para o verbo hate: I hate pizza. Ou use outro sujeito: My friend loves pizza. Acrescente detalhes: I love cheese pizza. Use a criatividade para aprender de uma forma positiva e agradável.

2.Observe as Diferenças Culturais

Preste atenção às diferenças culturais. As formas de conversar são parecidas ou diferentes em seu país de origem e nos países de língua inglesa? Lembre-se que há diferenças nos vários países assim como em regiões diversas de cada país.

Exemplo: quando pedimos informações no Brasil, em Portugal ou nos Estados Unidos, o que difere? Gestos? Expressões polidas? As pessoas são mais ou menos formais?

Leia também: Parte 2: O que é Pensar em Inglês? Pratique esse Exercício de Observação

3. Atitude Positiva

Mantenha uma atitude positiva em suas aulas e estudos. Cancele pensamentos do tipo ‘é difícil’ ou ‘não consigo falar’. Esses pensamentos não ajudam e causam bloqueio e frustração. Ao estudar algo novo, aceite o desafio e desevolva prazer no contato com novas estruturas e palavras. Conquistar algo trax sentimentos construtivos e de auto-confiança. Experimente.

Leia também: Como Aprender Mais Nas Aulas de Inglês

Sugestão: experimente as dicas acima com a mente aberta, sem julgar, apenas pratique e observe os resultados, especialmente na formação de frases, nos diálogos.