Iniciantes em Inglês: 3 Formas Simples de Evitar Bloqueio

Falar inglês envolve vários aspectos – são atitudes muito simples que ajudam na evolução das etapas iniciais do seu inglês, especialmente na conversação. Pratique essas 3 formas de evitar bloqueio e tornar seu aprendizado mais agradável.

1.Brinque de teatro

Ao aprender algo novo, brinque um pouco de ser ator. Coloque emoção em seus exercícios. Repita frases que imitem a estrutura ou expressão, mas varie a entonação. Faça isso fora de aula também. Brincar com as palavras torna o processo de aprendizado mais natural e agradável. Experimente.

Exemplo: I love pizza tem ao menos 3 tipos de entonação que expressam idéias diferentes dentro de uma conversa. Ou mude para o verbo hate: I hate pizza. Ou use outro sujeito: My friend loves pizza. Acrescente detalhes: I love cheese pizza. Use a criatividade para aprender de uma forma positiva e agradável.

2.Observe as Diferenças Culturais

Preste atenção às diferenças culturais. As formas de conversar são parecidas ou diferentes em seu país de origem e nos países de língua inglesa? Lembre-se que há diferenças nos vários países assim como em regiões diversas de cada país.

Exemplo: quando pedimos informações no Brasil, em Portugal ou nos Estados Unidos, o que difere? Gestos? Expressões polidas? As pessoas são mais ou menos formais?

Leia também: Parte 2: O que é Pensar em Inglês? Pratique esse Exercício de Observação

3. Atitude Positiva

Mantenha uma atitude positiva em suas aulas e estudos. Cancele pensamentos do tipo ‘é difícil’ ou ‘não consigo falar’. Esses pensamentos não ajudam e causam bloqueio e frustração. Ao estudar algo novo, aceite o desafio e desevolva prazer no contato com novas estruturas e palavras. Conquistar algo trax sentimentos construtivos e de auto-confiança. Experimente.

Leia também: Como Aprender Mais Nas Aulas de Inglês

Sugestão: experimente as dicas acima com a mente aberta, sem julgar, apenas pratique e observe os resultados, especialmente na formação de frases, nos diálogos.

Parte 2: O que é Pensar em Inglês? Pratique esse Exercício de Observação

Pensar em um segundo idioma é como despertar o cérebro com um grito. A vontade é permanecer no conforto da língua que falamos desde pequenos. Então, como quebrar essa preguiça da mente?

Em primeiro lugar, encontre formas de tornar esse processo agradável, interessante. Pensar em Inglês é aprender um pouco mais sobre como outras culturas vivem e se expressam. E observar essas diferenças é enriquecedor porque você deixa de julgar e começa a compreender como formas de viver são naturalmente diferentes em locais diversos. Observe como essas diferenças se destacam no idioma e ilustram a forma a forma de comunicar-se. Por isso, pensar em português quando falamos inglês não funciona. A dica de hoje é um exercício de observação.

Escolha um filme ou série de língua inglesa e observe como as pessoas se comunicam. Se já reside em um país de língua inglesa, faça isso no dia-a-dia, de forma discreta. Observe as pessoas e compare com seu país de origem. Compare, por exemplo, um filme americano com um episódio de novela brasileira ou portuguesa. Observe e discuta com amigos, é um exercício muito interessante e por vezes, com resultados surpreendentes. Preste atenção e descubra:

Como as pessoas direcionam o olhar? Como gesticulam? São mais ou menos falantes do que em seu país de origem? São mais sorridentes ou menos? Interrompem ou aguardam para falar?

Falam mais rápido? Mais alto? Mais baixo? São mais dramáticas ou reservadas? Explicam muito ou pouco? São mais polidas? Ou menos?

Quais suas conclusões? Conseguiu identificar as diferenças de jeito de ser entre sua cultura local e das pessoas do filme que você escolheu? Após iniciar essa prática, observar torna-se algo natural, você perceberá internamente que expressar-se em inglês envolve muito mais que a tradução de palavras. Essa prática de observação sem julgamento nos ensina também maior entendimento das diferenças em estilos de vida.

Compartilhe suas impressões com amigos ou seu professor. Essa observação terá um efeito positivo em seu inglês.

Aprenda 3 Expressões Idiomáticas Meio Loucas

Expressões Idiomáticas (idioms) são muitas vezes engraçadas e até meio loucas. Se tentar traduzi-las ao pé da letra, não vai entender nada, mesmo porque letra não tem pé. Então relaxe um pouco con essas expressões porque o mundo (especialmente o Brasil) está de ponta cabeça, e para tomar decisões , é preciso manter a cabeça fria. Viu o que acontece? Dá pra imaginar como um estrangeiro iniciante em português traduziria essas frases?

1.A COUCH POTATO

Temos que ficar em casa, mas não temos que ficar parados. Mas se você está usando o isolamento como desculpa pra escapar dos exercícios físicos e ficar sentadão com o gato no colo, assistindo TV por horas … você se tornou um couch potato!

Come on, let’s get some exercise. You’re a real couch potato!

2. Don’t give up your day job!

Esse é um jeito brincalhão de dizer ao amigo como ele canta mal … ou dança mal … ou tem um plano que não tem a mínima chance de dar certo porque ele não leva jeito mesmo! Ê usado dentro do diálogo:

Tom: So, what do you think about my band? Bob: Oh, well…Don’t give up your day job!

Quer dizer, melhor continuar com seu emprego atual porque sua banda é ruim de mais. É claro que vc vai usar isso pra brincar com os amigos mais próximos, e não tirar o sarro da sua Tia Betsy!

3.Call it a day:

Use no meio da conversa, quando você conclui ou quer parar uma atividade porque está cansado ou simplesmente não quer fazer mais. Parecido com o nosso ‘vamos parar pir aqui’…. mais ou menos isso. Às vezes, você pode usar pra mostrar sua preguiça também. Minha aluna fez isso ontem. Combinamos estudar 8 novos phrasal verbs durante a aula (online, claro!), e depois de estudarmos apenas três, ela disse:

Let’s call it a day! Phrasal verbs drive me crazy!

Como ela usou as expressões muito bem, eu ‘perdoei’ . E você? Consegue encaixar essas expressões em suas conversas? Consegue criar exemplos?

Fique em casa, mas nada de desânimo! Aprenda, pratique, fique ativo!

5 Formas de Otimização de Oportunidades de Carreira com Inglês Avançado

Aos profissionais qualificados não faltam oportunidades de carreira, mesmo com as crises constantes com as quais convivemos. No entanto, as exigências do mercado de trabalho aumentam e pressionam os mais ambiciosos a aperfeiçoarem suas habilidades e competências. O domínio do inglês equivale a um banho de ouro em seu currículo por diversas razões.

Veja 5 formas pelas quais, o inglês avançado otimiza suas oportunidades de carreira:

1. Empregos Internacionais

Se o mercado de trabalho local não atende à oferta de profissionais, muitas vezes é preciso considerar outras regiões, e até mesmo outros países. A globalização e o avanço tecnológico permitem romper os limites geográficos e considerar outros locais, onde certas qualificações são mais procuradas e melhor recompensadas. Aspecto que se refere não apenas aos executivos de corporações, mas a diversas áreas tais como profissionais da saúde e artistas plásticos.

2.Maiores Chances de Promoção

É frequente ouvir casos de pessoas qualificadas que perderam grandes oportunidades pela falta do inglês avançado. Essas oportunidades englobam perspectivas diversas tais como uma promoção interna, um cargo mais alto em outra empresa, ou possibilidades de parcerias de negócios com empresas estrangeiras. Por outro lado, conhecemos pessoas que abraçaram uma oportunidade de vida porque dominam o idioma.

3.Imagem Profissional

Mesmo quando o cargo não exige inglês imediatamente, o comando do idioma transmite a imagem de um profissional atualizado, dinâmico e pró-ativo. A desculpa ‘meu cargo não exige inglês ‘ prejudica a imagem no ambiente de trabalho, e diminui as chances de crescimento.

4.Acesso à Informação em Tempo Real

Tornar-se um excelente profissional significa realizar muito mais do que a função ‘exige’. Significa importar-se com as grandes questões sócio-econômicas e culturais, e ter o conhecimento e informação relevantes. A excelência inclui a rotina de leituras de fontes respeitadas internacionalmente, o que permite atualização e articulação de ideias a níveis mais elevados, além do lugar comum. Ter inglês avançado permite acesso a novas ideias e informações em tempo real.

5.Valorização do Currículo

Atingir um alto nível de conhecimento em certa área exige investimento de tempo, dinheiro e determinação. Ao acrescentar inglês avançado, seu currículo recebe um banho de ouro, valorizando ainda mais sua imagem profissional, seja um perfil técnico, de liderança, ou de áreas diversas fora dentro ou fora do ambiente corporativo.

Conclusão : aos que levam a sério suas carreiras, essas são algumas ótimas razões para avançar o inglês. Lembre-se de que no momento em wue surgirvuma grande oportunidade, não haverá mais tempo para preparar-se. Essa preparação exige tempo e tem que ser planejada e realizada com antecedência e determinação. E no momento que surgir aquela oportunidade de ouro, a disciplina e os esforços serão recompensados.

Coronavirus e Isolamento: Como Praticar Inglês pode ajudar nesse momento?

Diante do cenário atual, não há como alienar-se. Estamos todos conectados. Não há espaço para o individualismo em um mundo onde não existem mais fronteiras. A ameaça nos assusta, bagunça nossas vidas, e faz emergir nosso lado mais inteligente e nobre: o da cooperação. Realizar esforços (e sacrifícios) em equipe sempre foi a melhor estratégia, seja na família, na empresa, no condomínio, nas cooperativas agrícolas ou nas comunidades urbanas. Não importa o formato do seu viver – agir em cooperação em todas as nossas convivências é a única forma de superar dificuldades. O isolamento físico ainda é nossa melhor defesa contra o coronavirus. Esse é o nosso esforço conjunto no momento. E quando isso acabar, teremos orgulho de nossa disciplina e força de vontade!

Fique em casa! E aproveite para praticar inglês!

Como praticar inglês pode ajudar nesse momento?

Praticar um idioma mantém a mente ocupada com assuntos úteis, exercita o cérebro e ainda produz vários outros resultados positivos, tais como: aumentar o seu interesse por conhecimento, melhorar sua disciplina diária e manter a mente saudável afastando o stress. E após o período de isolamento, seu inglês estará mais rico, e você mais satisfeito com seu inglês e consigo mesmo.

Minha proposta é escrever com mais frequência, também sobre outros assuntos, tais como idéias e estratégia que, de alguma forma, ajudem os leitores a passar por esta fase, com força e equilíbrio.

Duas Técnicas para Evitar Bloqueios ao Falar Inglês no Trabalho

Uma das causas de receio na hora de falar inglês é o medo de ser julgado por colegas de trabalho, especialmente no ambiente corporativo. Aprenda duas técnicas para matar esse medo pela raiz antes que se torne um bloqueio!

Medo de Prejudicar sua Imagem Profissional

Se você trabalha em uma multinacional, provavelmente convive em um ambiente competitivo com colegas ambiciosos que também estão focados na carreira. Esse ambiente dinâmico é fantástico porque não permite que você se acomode na zona de conforto: você busca o inglês fluente, fazer um MBA e reciclar-se constantemente. O lado mais desafiador é encarar um dia-a-dia onde todos são bons profissionais e você tem que se esforçar para se equiparar, e não ficar de fora da jogada. É nesse contexto que vem o medo de falar inglês, especialmente se os seus colegas são mais avançados no idioma. Não é apenas seu inglês que está em jogo, mas sua imagem profissional. É aí que você trava – fala o menos possível porque tem medo de se arriscar, é um mecanismo de defesa.

E como superar esse medo?

Há várias técnicas que, se aplicadas constantemente, ajudam você a sentir-se confortável para falar inglês em situações de pressão. Hoje veremos duas:

Técnica 1: Avalie seu inglês com clareza

É preciso ter uma visão clara do seu inglês e assumir o seu nível. Esqueça aquela conversa ‘meu inglês não é bom’. Choradeira passa a ideia de insegurança, prejudica sua imagem. Pense com realismo no seu nível: A2? B1? C1? Lembre-se: você é um estudante de inglês e está trabalhando para atingir a fluência. Mas isso exige tempo e dedicação. Sinta-se confortável em ser um estudante. Deixe isso claro para seus colegas de trabalho e seu chefe. Quando não entender algo, não fique constrangido, não se justifique. Apenas esclareça que não entendeu algo e que gostaria de ouvir novamente. Treine frases polidas e profissionais para expressar dúvidas ou dificuldades (veja Técnica 2). E continue se esforçando para atingir níveis mais altos.

Técnica 2: Simule situações semelhantes às que você encontra na empresa

Com auxílio do seu professor, simule apresentações, negociações e outros cenários comuns ao seu ambiente de trabalho. Esse treino deve incluir características realistas, tais como: responder perguntas e dúvidas, confrontos e negociações. Esse treino deve ser feito com um professor, ou alguém qualificado que poderá corrigir seus erros e sugerir vocabulário, entonação e estruturas apropriadas.

Dessa forma, a cada sessão de prática, sua expressão verbal progride e quando você estiver em uma situação real – uma reunião, por exemplo, terá as ferramentas para uma comunicação bem sucedida.

Importante! Esse treino deve ser realizado com frequência e não apenas pouco antes de um evento profissional. Prepare-se, pratique muito! E a calma ao falar inglês aumentará gradualmente até que o conforto seja maior que a insegurança. Planeje, estude com foco. Prepare-se e sinta-se bem com seu inglês.

O Que é Pensar em Inglês?

‘Pensar em inglês’ é um das preocupações mais frequentes dos estudantes cuja meta é a fluência. Então, por que é ‘errado’ pensar em português e depois traduzir? E o que significa ‘pensar em inglês’? E como fazer isso?

Por que é ‘errado’ pensar em português ao expressar-se em inglês?

Na verdade, não é errado, é simplesmente muito lento! Imagine: você pensa em português, traduz para o inglês, ouve a resposta em inglês, traduz mentalmente para o português, daí pensa no que vai falar, traduz para o inglês…. ufa! Já estou cansada.. e você? Percebeu como a comunicação feita dessa forma fica lenta e provavelmente entediante?

Além do tempo para pensar e traduzir, pense nas pausas que ocorrem quando você não se lembra de uma palavra em inglês. Quando você tenta traduzir e não consegue, acaba se perdendo em sua linha de pensamentos. E aí você trava, fica constrangido e o bloqueio se instala.

E o que acontece quando você pensa em inglês?

Suas ideias formam-se em inglês e quando falta vocabulário, seu cérebro sabe improvisar e se expressa de formas diferentes, mesmo que não sejam perfeitas, são fluentes e interessantes para seu interlocutor. É muito chato falar com alguém que fica um longo tempo olhando para o ar procurando as palavras. Comunicação tem que ser produtiva, interessante ou divertida – depende do contexto – mas jamais entediante ou confusa.

E como pensar em inglês?

Esse é um processo gradual. Exige prática frequente e constante. Em termos práticos, o que fazer? Se você está pelo menos no nível A2, comece hoje mesmo a usar um dicionário inglês-inglês. Inicie essa prática com palavras fáceis, que você já conhece tais como: work, table, company e happy. Preste atenção na explicação em inglês, clique na pronúncia, repita algumas vezes, mesmo que já conheça. Essa é uma prática que força seu cérebro a pensar em inglês, a aceitar a nova língua como parte da sua comunicação. Faça isso todos os dias. Experimente com palavras já conhecidas, e depois com as novas. Tente entender sem traduzir. No começo, há um desconforto que diminui com a prática.

Veja como o dicionário da Cambridge explica a palavra ‘table’: https://dictionary.cambridge.org/dictionary/english/table

Preste atenção nas palavras, na definição.No próximo artigo sobre o assunto, escreverei sobre outros aspectos e dicas para pensar em inglês. Até lá, pratique lendo e pensando em definições em inglês. Por exemplo, como você definiria a palavra ‘spoon’, sem traduzi-la? Pense e depois verifique a definição em inglês.

Spoon https://dictionary.cambridge.org/dictionary/english/spoon

O que achou da definição de ‘table’ em inglês? Você praticou outras palavras? Aprendeu algumas novas? Conseguiu definir ‘spoon’? Sua definição é parecida com a a do dicionário?

Escolhi palavras do nível básico para ilustrar o fato de que você deve começar agora mesmo a exercitar seu pensamento em inglês, não importa seu nível. Pratique, experimente e desenvolva pensamentos dessa forma. Isso é pensar em inglês.

Ajude-me a escolher os próximos temas: se gostou deste, não esqueça de curtir, ou envie sua sugestão.

Aprenda 4 Técnicas para usar o Present Perfect na Conversação

Para os nativos da língua portuguesa, usar esse tempo verbal pode parecer um desafio. Mas há algumas ‘técnicas’ que ajudam seu cérebro a ‘aceitar’ e usar o present perfect. Então como estudá-lo?

Técnica 1: Em primeiro lugar, resolva a parte mais fácil: entenda bem a estrutura. Lembre-se que ‘have’ é o verbo auxiliar. E como tal, não tem tradução!

Have / Has: ‘I have lived in Berlin for two years.’ significa ‘Moro em Berlin há dois anos’. Cuidado! : Não significa: Tenho morado em Berlin há dois anos. O verbo ‘have’ como auxiliar no present perfect não é traduzido, assim como os auxiliares ‘do’ e ‘does’ no present simple.

A estrutura do present perfect funciona com have/ has + past participle . O past participle é a terceira coluna daquela lista de verbos irregulares, lembra? Para os regulares, o formato é igual ao past simple. Alguns exemplos:

Bob has been been married for six months. (Bob é casado há 6 meses). Aqui o verbo principal é o ‘to be’.

I haven’t seen Bob since yesterday. (Eu não vejo o Bob desde ontem). Verbo principal: see.

They have studied English for a month. (Eles estudam inglês há um mês). Verbo principal: study (regular)

Técnica 2: Entenda o contexto do present perfect. Essa é a parte mais interessante! Quando usamos esse tempo verbal? Há várias formas de estudá-lo. Eu prefiro ensinar os contextos ‘um a um’. Hoje, quero falar de uma situação. Veja:

I have lived in Lisbon for two months. Moro em Lisboa há dois meses. Você está em Lisboa há dois meses, e continua lá. Em português, usamos o presente – Eu moro… Em inglês quando você menciona o período tempo que algo ocorre, não importa se minutos ou décadas, você deve usar o present perfect.

Where do you live? I live in Lisbon. (present simple)

How long have you lived in Lisbon? (present perfect)

I’ve lived in Lisbon for two months. (present perfect)

Percebeu a diferença?

Técnica 3: Pratique muito essa situação antes de estudar as outras. Escreva e fale exemplos reais ou criativos. Pense há quanto tempo você conhece seus amigos, estuda inglês, trabalha ou mora em tal lugar. Use ‘for’ para o período de tempo e ‘since’ para um ponto no tempo. Observe a frequência do present perfect em filmes, séries e livros! Observe se os exemplos que você encontra se encaixam na situação de hoje.

Técnica 4: Use um pouco de neurolinguística. Quando alguém perguntar o que você acha do present perfect, responda: ‘a piece of cake’ (fácil demais!). Isso vai ajudar o seu cérebro a aceitar essa estrutura. Crie exemplos divertidos para ajudar seus colegas. O present perfect não é difícil, é diferente e muito interessante quando você perde o medo e se aventura. Vale a pena. Experimente!

Dúvidas ao Usar o Get? Parte 3

Já vimos 4 significados importantes e frequentes do get: entender e ‘ficar’ (Veja Parte 1), atender e adquirir (Parte 2). Vamos praticar mais dois significados.

Receber

Dinheiro, Salário, Renda: Tom gets about 10,000 dollars a month!

E-mail, correspondência, mensagens: I get about 50 e-mails a day.

Chegar

Normalmente usado com ‘to’ , exceto com as palavras ‘home’, here, there e downtown.

What time did you get to work?

I got to Rio de Janeiro at 8:30.

I usually get home after 7.

Dica: acostume-se a usar o get sempre que possível. Faça uma revisão rápida dos vários sentidos de get e tente criar exemplos. O verbo get é um dos verbos mais usados, vale a pena estudá-lo. Pratique! E aguarde, vem mais ‘get’ por aí!

Por que ler em inglês é essencial para alcançar a fluência?

Se você não gosta de ler, repense sua postura. O hábito de ler é indispensável se você almeja falar um inglês de qualidade, e não o famoso ‘mais ou menos’ ou ‘me viro’. Você quer ser fluente, então vamos encarar a leitura porque vale a pena. Vamos ver as razões.

O que acontece quando você lê em inglês:

( 1 ) Você pratica o vocabulário. Você entende como aquela palavra ou expressão é usada.

( 2 ) Você revê as estruturas, especialmente os tempos verbais. O que foi estudado em aula aparece no texto e seu cérebro faz conexões, aceita, assimila e reproduz na sua conversação.

( 3 ) Você entra em contato com variedade de vocabulário e estilos da língua inglesa. Por essa razão, é importantíssimo ler coisas diferentes: estórias, diálogos, biografias, textos sobre turismos, curiosidades, etc.

E se você não está acostumado a ler e der um soninho… experimente o burburinho de coffee shop urbano para manter o ritmo da leitura: https://coffitivity.com/

Atenção! Se você curte ler notícias, procure fontes diversas: BBC, New York Times, Financial Times, The Guardian, etc. Os noticiários variam em estilo de escrita e fluência significa também reconhecer o grau de formalidade ou sofisticação de um idioma. Mas lembre-se, o linguagem dos noticiários é sempre mais formal do que no dia-a-dia, por isso você não deve ler apenas notícias. Leia contos, estórias, diálogos, relatos de viagem …. variedade é fundamental para alcançar seu objetivo de inglês: ser fluente.